Rede Vital para o Brasil

A Rede Vital para o Brasil – Rede Nacional de Informação, Diálogo e Cooperação acerca dos Animais Peçonhentos – é uma rede social que tem por objetivo agregar, representar e apoiar os diferentes pesquisadores e profissionais, associações e instituições que, com reconhecido desempenho, exercem atividades nas diferentes áreas relacionadas aos animais peçonhentos e seus venenos.

A proposta de criação desta rede surgiu da constatação da necessidade do desenvolvimento de ações conjuntas em prol da reflexão, do amplo debate e de iniciativas diante aos preocupantes desafios experimentados na assistência aos envenenamentos causados por animais peçonhentos no Brasil.


Os graves e inquietantes problemas em torno dos acidentes com animais peçonhentos no país tornam a área da saúde imperativa nos objetivos e missão da Rede Vital para o Brasil.

A equipe executiva está constituída pelas seguintes instituições e pesquisadores, além do Instituto Vital Brazil: CVB – Casa de Vital Brazil (Campanha, MG); Cevap – Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos, Unesp (Botucatu, SP); CPPI – Centro de Produção e Pesquisa de Imunobiológicos (Curitiba, Paraná); Funed – Fundação Ezequiel Dias - (Belo Horizonte, MG); IB –Instituto Butantan - (São Paulo, SP); Noap - Núcleo de Ofíologia e Animais Peçonhentos do Instituto de Biologia, UFBA (Salvador, BA); Profª. Julia Franceschi, Unicamp (Campinas, SP) e fundadora da SBTx - Sociedade Brasileira de Toxinologia; Dr. Renato Bernils, UFES (São Mateus, ES) e Drª Rosany Bochner, ICICT – Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde, Fiocruz (Rio de Janeiro, RJ).

Entre 2010 e 2012, a coordenação da Rede Vital para o Brasil esteve sob a responsabilidade das pesquisadoras Tania Kobler Brazil e Rejane Maria Lira da Silva, NOAP - Núcleo de Ofíologia e Animais Peçonhentos do Instituto de Biologia, UFBA. Em agosto último, foram eleitas para o biênio 2012 – 2014, as pesquisadoras Rejane Maria Lira da Silva, Noap - Núcleo de Ofíologia e Animais Peçonhentos do Instituto de Biologia, UFBA e Giselle Cotta, Funed - Fundação Ezequiel Dias.